Maria Inês Almeida

Jornalista de formação (Universidade Católica Portuguesa), é mãe de um
rapaz (José) nascido em 2008, que lhe tem dado toneladas de inspiração
e mãe de uma rapariga (Maria Francisca) que nasceu em 2017.

Dedica-se à autoria de livros infanto-juvenis. Recebeu o Prémio
Revelação do Clube de Jornalistas em 2005.

Maria Inês Almeida publicou já mais de 40 livros, a maior parte dos
quais dirigidos a crianças e jovens, incluindo os particularmente
apreciados Quando eu for… Grande (nomeado em 2011 como um dos três
candidatos ao prémio do melhor livro infanto-juvenil da Sociedade
Portuguesa de Autores e já traduzido para castelhano e chinês) e Sabes
onde é que os teus pais se conheceram?. Ambos os títulos figuraram na
lista “100 livros para o futuro” apresentada por Portugal como
convidado de honra da Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha
em 2012.

As Nuvens, A Admirável Aventura de Malala ( traduzido para o México)
e A Admirável Aventura de Mandela, José, come a Sopa, José, vai à
praia, José, vai ao médico, Quando eu for… Grande são alguns dos
seus livros que estão no Plano Nacional de Leitura.
Entre os seus livros estão ainda A Última Árvore, História do Sporting
para Leões e Leõezinhos, Pais à Venda num Centro Comercial Perto de
Si, A Casinha de Bonecos, Deus É Amigo do Homem-Aranha e Coração de
Mãe Nunca se Engana.
Escreveu cinco biografias (de Amália Rodrigues, Almeida Garrett,
Michael Jackson, Amélia Rey Colaço e Almada Negreiros) para a colecção
juvenil Chamo-me…, o texto das bandas desenhadas O estranho caso das
3 professoras, Festival de Verão em Risco! Eleições na escola (também
incluídas no PNL) para a Liga Portuguesa Contra o Cancro e Vicente em
viagem… a caminho do Rally de Portugal, publicado pelo Automóvel
Clube de Portugal como o seu primeiro livro de prevenção rodoviária
infantil (igualmente no PNL). Também para o ACP e no PNL está o livro
Júnior na Cidade.

A colecção do Leão Simão que já conta com 7 livros e o livro Diário de
um Migrante são os seus últimos títulos publicados.

Em parceria com Joaquim Vieira, é co-autora da colecção de aventuras
Duarte e Marta.

Em Dezembro de 2013, deslocou-se a Timor-Leste para o pré-lançamento
do seu livro Teki na Ginástica, escrito no âmbito de um projecto de
incentivo à leitura entre as crianças timorenses.

E em 2014 visitou também algumas escolas portuguesas em Boston, New
Bedford e Taunton.

O mesmo aconteceu em 2015, a convite do Instituto Camões no âmbito do
incentivo à leitura, onde visitou escolas portuguesas em Toronto e na
costa leste dos EUA. Em 2016 viajou até à Austrália também com o mesmo
propósito e em 2018 esteve em Berlim. Também já participou em dois
festivais no Oriente (Bali e Macau).

Todas as informações no site da autora: www.mariainesalmeida.pt 


Quando eu for…grande

Uma criança pode dizer, com razão, quando for grande vou comer pastilhas elásticas. É a humana natureza da criança: quando for grande vou fazer isto e aquilo. Respondemos a muitas perguntas em crianças, formuladas por nós ou por outros. Os mais novos cedo compreendem que os grandes sonhos só lhes estão reservados para a vida adulta: um crescido – pensam eles – é aquele que tem vontade autónoma, faz o que quer e pode escolher a sua maneira de viver.

Os próprios adultos estimulam a expressão desses sonhos, com a sua permanente curiosidade por saberem quais as ambições dos filhos quando forem maiores. Queres ser o quê? Mas, mais do que uma profissão, a vida infantil decorre com a permanente lista dos desejos para a vida adulta. Os desejos de uma criança reflectem os seus propósitos naquele momento, não os que terá quando for mais velha. Devíamos, cada um de nós, deixar registados os anseios que sentimos nos primeiros anos da existência, para podermos mais tarde lançar um olhar nostálgico sobre como éramos e nunca mais voltaremos a ser. Ah, e se pensarmos bem, os desejos exprimem, acima de tudo, a perplexidade da criança pelo estranho mundo adulto e os mistérios da natureza.

Recomendado pelo PLANO NACIONAL DE LEITURA: Livro recomendado para o 1º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma.


A Última Árvore

Um rapazinho vai a caminho da escola e vê um velhote, que pensa estar a falar sozinho mas afinal está a falar…para uma árvore! A partir daqui desenrola-se uma história de amizade a lembrar a melhor tradição de O Principezinho: amizade do velho senhor por aquela árvore e fascínio e descoberta do mundo por parte do rapazinho. Afinal, aquele homem vem defender a sua amiga de toda a vida – a árvore, a última árvore, que querem abater – e acaba por sensibilizar toda a comunidade para a defesa daquele ser vivo, que é um autêntico tesouro e os faz unir a todos por uma causa.

Uma história inesquecível de amizade e amor à natureza.


A Admirável Aventura de Malala

Contada aos jovens

A história de Malala Yousafzai, a menina paquistanesa que, em 2014, se tornou a mais jovem vencedora de um Prémio Nobel por acreditar que a educação é a arma mais poderosa.

Um testemunho de como a educação é a arma mais poderosa para melhorar o mundo.

Malala acredita que todas as crianças – independentemente do sexo, da raça, da origem social ou do credo religioso – têm o direito indiscutível a aprender. Porque saber é poder, e aprender é um direito tão fundamental como ter acesso a água, a comida ou a segurança.

Livro inserido no PLANO NACIONAL DE LEITURA